vem-despertar category image
29 de novembro de 2018

Mude sua Voz Interna

Vem despertar

Oi! Como você está?

Eu estou aqui, novamente. Recomeçando. Preciso recomeçar diariamente.

Talvez você me siga no Instagram e me veja sorridente e plena em meus afazeres diários e pense “é tão fácil pra ela”. Acertei?

Eu também faço isso. Olho para a vida de outras pessoas e penso que deve ser muito fácil para essa pessoa ser feliz porque aparentemente ela não tem nenhum dos meus dilemas.

Certo que não!

Eu também não tenho os seus dilemas, porque tenho os meus, criados pela minha voz interna, essa nossa companheira fiel e incansável que pode trabalhar muito contra nossa paz.

Sabe, eu geralmente fico observando a vida da minha janela. Gosto de pensar no que as pessoas estariam pensando. Gosto de perceber que na maioria das vezes elas estão caminhando apressadas, sem prestar atenção em mais nada, além é claro, da sua voz interna.

“Preciso resolver isso”.

“Preciso falar aquilo”.

“Preciso chegar a tempo”.

“Preciso agir diferente”.

E nesse meio tempo um pássaro quase lhe pousa no ombro, ou um pato atravessa a estrada, ou as folhas alaranjadas de uma árvore pousam nas águas esverdeadas do lago anunciando o inverno, ou o sol tinge o céu de cor de rosa, ou uma nuvem em formato de coração desaparece.

Somente essas pequenas coisas já bastariam para mudar aquela voz interna, para abrir novas possibilidades e para manifestar uma vida com menos dilemas – igualzinha a vida do seu colega.

Mas estamos sempre muito ocupados para a simplicidade. Estamos sempre tentando preencher vazios.

“E se eu lesse mais um livro? E se fizesse um curso para aprender isso? Não tenho tempo para cuidar daquilo que gosto”.

E se apenas pudéssemos apreciar esse momento? E se ao ouvir aquela voz preocupada e inquietante nós estivéssemos atentos a ela, reconhecendo-a e sorrindo gentilmente?

Gosto de olhar nos olhos das pessoas enquanto falam, tanto quanto gosto de apertar firme a mão.

Mas não se engane, hoje sou mais consciente e busco esse contato, uma vez eu também me refugiava atrás de um muro de pedra.

O que foi que eu mudei nesse meio tempo?

Minha voz interna.

Ela já não é mais aquela senhora ranzinza apegada a padrões, bloqueios ou regras que caminha com pressa. Ela é um pássaro livre que delicadamente pousa no seu ombro, como agora, e lhe sussurra que  A VIDA É BELA.

Sim, a vida é bela.

É essa a minha voz interna.

Qual é a sua nesse momento? Vamos conversar? Posso pousar em seu ombro? Te espero sorridente com uma xícara de chá de ervas da montanha nos comentários.

Eu sou Andreza Frasseto e eu amo você.

Gratidão por estar aqui.

  1. Taini LANdim disse:

    oii ANDreza, fico feliz por ter voltado a ESCREVEr.
    Esse texto tocou meu coração e me fez pensar na minha voz e o tanto que ela REPete QUE EU não VOU conseguir, mas eu vou conseguir sim! Vc me RELEMBROU QUE eu posso conseguir SIM, que minha ansiedade e a síndrome do pânico que eu tive não vão me fazer parar de NOVO! Eu SEGUIREI, obrigada por me dar a mão nesse processo e COM lágrimas nos OLHOS e te escrevendo essas palavras eu confio que vou conseguir!
    Gratidão pela sua vida! eu AMO você! 🙏❤ Namastê!

    • Emocionada eu te respondo, você já conseguiu! Você já conseguiu! Você está aqui, esse é um novo dia e todas as pessoas ao seu redor estão passando pelos mesmos dramas, dores e dificuldades, cada qual com sua consciência, cada qual a seu modo, mas o que conta é que todos estamos conseguindo seguir. Receba o meu abraço.

  2. LAize disse:

    Andressa,
    Têm sido uma luta diária contra essa ranzinza, que insiste em me dizer que não tenho tempo à perder, que o projeto tem prazo, que o cliente está insatisfeito, que o marido está em casa esperando.
    com muita dedicação foi possível perceber que ao não dar ouvidos à ela, a vida flui mais leve e os meus dias têm sido mais felizes.
    não é uma causa ganha, mas um desafio diário!

    obrigada por fazer parte disso!
    gratidão por compartilhar conosco essa paz!